ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Epidemia de dengue em 10 cidades
Paraná já registrou 3,1 mil casos autóctones. As regiões Oeste, Norte e Noroeste do estado são as mais críticas
Sexta-feira, 26 de março de 2010
 
 

Foz do Iguaçu - A epidemia da dengue chegou a 10 municípios paranaenses situados nas regiões Oeste, Norte e Noroeste, o que significa dizer que essas áreas registram uma incidência de mais de 300 casos da doença para cada grupo de 100 mil habitantes. A situação mais preocupante é a do Oeste, que concentra 45% dos casos confirmados em todo o Paraná, ou seja, 1.508 de um total de 3.357, conforme o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), no dia 23 de março.

Do total de confirmações no estado, 3.106 são de casos autóctones e 251 são importados. O número de suspeitos chega a 12.524. No dia 24 de março do ano passado, os casos confirmados eram apenas 123, o que evidencia o avanço da doença. Neste ano, 129 dos 399 municípios do Paraná já registraram casos de dengue, quase um terço de todo o estado.

Integrante da equipe de coordenação do controle da dengue, no Paraná, Ronaldo Trevisan diz que a epidemia instalada em algumas cidades paranaenses é resultado de uma série de fatores. Os principais, segundo ele, são: a presença de mais dois sorotipos da doença no estado este ano (o Den-1 e o Den-2) e também o alto índice de infestação do mosquito em alguns municípios. “A mudança de sorotipo e a alta densidade vetorial favorecem a ocorrência de uma epidemia”.

Trevisan alerta ainda que a mudança de sorotipo também predispõe a ocorrência de casos graves da doença, como a dengue hemorrágica. Neste ano, de acordo com a Sesa, já foram registrados nove casos graves de dengue no estado, dois deles com complicações e sete com febre hemorrágica, o que resultou na morte de um homem de 68 anos registrada em Londrina.

Segundo o técnico, para que a doença não provoque prejuízos ainda maiores, é preciso mais colaboração da população na eliminação dos possíveis criadouros do mosquito transmissor – há registro de situações em que os agentes antidengue são impedidos até de retirar o lixo de residências, mesmo em municípios em situação epidêmica. “Quem deixa criadouro do mosquito em casa não tem amor à própria família”, afirma.

Mapa

As regiões do estado com maior número de casos da dengue são também as que concentram os maiores índices de infestação do mosquito Aedes aegypti. No entanto, Trevisan lembra que isso não significa que os municípios sem vítimas estejam livres da doença. Nessas cidades, que geralmente registram temperaturas mais baixas em relação ao Norte, Noroeste e Oes­te, a infiltração do vetor é mais lenta. Mesmo assim, a preocupação com os cuidados necessários não pode ser reduzida.

De acordo com a Sesa, em todo o estado, os municípios com maior número de casos absolutos são respectivamente Foz do Iguaçu (484), Medianeira (667) – ambas no Oeste – e Maringá (460). No entanto, os municípios que aparecem com maior incidência da doença para cada grupo de 100 mil habitantes são Paranacity, Medianeira e Primeiro de Maio.

 

Fonte:  Denise Paro, da sucursal

 
 
 Outras Notícias
VER TODAS
 

Rua Diogo Emanuel de Almeida, 234 - CEP: 84435-000 - GUAMIRANGA - Paraná

(42)3438-1148/3438-1157

prefeitura@guamiranga.pr.gov.br

Horário de Atendimento: 08:00 às 12:00 - 13:00 às 17:00

Última atualização do site: 28/06/2022 13:54:55